Como Baixar via Torrent?

on




Ao contrário do que algumas pessoas pensam, o arquivo .torrent não é já o vídeo ou qualquer outro download que você baixou, ele é apenas um arquivo leve que vai possibilitar que você baixe o arquivo que realmente deseja. Essa tecnologia criada por Bram Cohen, permite o compartilhamento de qualquer tipo de arquivo pela internet, sendo muito usado para a distribuição de vídeos, músicas e programas.


Para baixar o arquivo que você realmente quer, você terá que utilizar algum programa que tenha acesso a rede do Bittorrent, abaixo segue o link para o Utorrent que é o que eu recomendo. Mas você pode usar outros como o BitTorrent que é também muito bom.




Neste tutorial vamos configurar o Utorrent


Agora que você tem os programas necessários ou recomendados para o tutorial, siga o passo-a-passo abaixo:


1. Abra o torrent que você acabou de baixar


Agora que você baixou o torrent, vá na pasta do seu computador a qual você guardou o torrent, depois clique com o botão direito do mouse sobre ele e escolha a opção "Abrir com..." e escolha o programa Utorrent. Caso você não tenha outro programa de P2P, é provável que o Utorrent se torne o padrão e inicie o download apenas com um duplo clique de mouse em cima do torrent.


2. Baixando o arquivo


Pronto, agora você começou realmente a baixar o arquivo desejado, agora basta apenas esperar o download concluir, arquivos com 700 MB levam em média 2 a 3 horas para baixar em internet banda larga (claro, isso varia de acordo com a velocidade da sua internet).


Enquanto o arquivo não baixa, se entretenha com alguma outra coisa!


3. Dicas e conselhos importantes


Lembre-se de deixar o seu Utorrent aberto depois de ter feito o download para que outro usuários possam baixar o arquivo que você acabou de baixar também, lembre-se que se todos fechassem o programa logo depois que acabou de baixar o episódio, ninguém conseguiria baixar e assim a rede acabaria, não pense só em você, pense nos outros que também querem assistir!


Por exemplo o meu fator download/upload costuma normalmente ficar de 3.5 a 5. Façam o mesmo e compartilhem o que acabou de baixar!


O recomendado é que depois do download do filme, programa, etc. você deixe upar o triplo do que baixou.


EX: Eu baixei um programa de 100 MB então tenho que upar 300 MB, é o que vale pra uma banda larga de 1 mega uma semana ou menos com o PC ligado usando 2 horas por dia.




1.0 Sobre o utorrent


O Software utorrent é um programa que permite fazer download de arquivos por torrent. Criei esse tutorial pois um amigo me indicou o programa e achei bastante interessante além de ser uma mão na roda para quem gosta de fazer downloads e tem internet dial-up (eu) pois pode resumir os downloads.
Gostaria apenas de lembrar que fazer download de conteúdo protegido por direitos autorais é crime portanto, não me responsabilizo pelo mau uso do programa.

Oque é torrent?

Torrent nada mais é que um pequeno arquivo que funciona apenas em softwares de torrent como por exemplo o utorrent, bittorrent e etc. O programa gerenciador de torrents funciona similar a um gerenciador de downloads, a grande diferença é que pode resumir qualquer download (algo que não pode ser feito se não tiver contas Premium em sites como rapidshare, megaupload, megarotic e etc)

O software funciona de uma maneira bastante interessante, o servidor tem o arquivo em questão (citarei um de 916MB) o servidor então divide esse arquivo em 916 partes de 1MB e envia para os interessados em fazer download os fragmentos dos arquivos, com isso, chega uma hora que 916MB já foram enviados do servidor para estações em todo o lugar do mundo. Daí é que entra a corrente (Torrent) os usuários (seeds) começam a trocar esses arquivos, por exemplo, se eu tenho a parte 351 e outra pessoa tem a 250, o software irar fazer com que a pessoa X faça download da minha parte 351 enquanto eu faço download da parte 250 dele.

Isso facilita o servidor de modo que o mesmo não se sobrecarrega. Os downloads podem ser resumidos tranquilamente podendo-se inciar em outro dia.

Uma grande facilidade do utorrent é que o software permite ao usuário visualizar os arquivos que já foram feitos download, sendo assim você pode verificar se realmente é isso que você quer fazer o download ou até mesmo selecionar as partes que você deseja ou não fazer download.

Agora depois dessa breve explicação iremos ao tutorial:

Faça download do utorrent pelo link: CLIK AQUI

Após a instalação do software clique 2x no ícone utorrent.exe, logo em seguida a seguinte janela será exibida:




1.1 Barra de Ferramentas



FILE





Add Torrent... (Ctrl+O) – Adiciona um torrent para download
Add Torrent do default save (Ctrl++D) – Adiciona um torrent para download podendo escolher o diretório de destino
Add Torrent from URL (Ctrl+U) – Adiciona um torrent de uma determinada URL existente
Add RSS Feed – Adiciona um Feed
Create New Torrent (Ctrl+N) – Cria um torrent a partir de um arquivo em seu computador
Exit – Fecha o programa


OPTIONS




Preferences – Altera as configurações do software
RSS Downloader – Altera opções do RSS
Speed Guide – Altera as opções da velocidade da conexão
Show Toolbar– Exibe ou oculta a barra de utilidades
Show detailed info – Exibe informações detalhadas
Show status bar – Exibe a barra de status
Show Category list – Exibe janela de pesquisa (explorer)
Icons on Tabs – Exibe ou oculta icones
Auto Shutdown – Programa horario para encerrar o programa


1.2 Barra de Utilidades






A barra de utilidades serve como atalho para algumas funções. Da esquerda para a direita temos:

Adicionar novo torrent;
Criar novo torrent de uma URL;
RSS Feed;
Criar novo torrent;
Remover torrent;
Iniciar/resumir torrent;
Pausar torrent;
Parar torrent;
Mover para cima;
Mover para baixo
Preferências
Procura de torrents pela web


1.3 Explorer





Na barra do explorer é exibida as estatística dos torrents.


1.3 Janela Primaria





Na janela primaria é exibida as informações do torrent assim como seu status, estatiscas e etc.


1.4 Janela Secundaria


Na janela secundaria temos diversas guias:


TRANSFER




Em Transfer é exibido as informações correspondentes a taxa de download e upload do torrent assim como tempo restante, quantidade de seeds, peers, tempo restante e outras informações.


GENERAL




Em General é exibido o diretório de destino do torrent assim como o total de partes que você já tem, quantas faltam, o Hash, data de criação, tamanho total do torrent e comentários.

TRACKERS




É exibido as opções de trackers assim como o nome, staturs, seeds, peers e horário de update.
Em Trackers, mostra o status do servidor, o mesmo é atualizado as vezes para atualizar o numero de seeds e etc (veja na janela em update In)
Mas afinal oque são seeds? Simples, seeds são usuários que estão fazendo o download e upload do mesmo torrent que você. É aconselhável fazer download de torrents com ao menos 10 seeds para que sempre que conectar o software tenha alguma semente para você fazer download

PEERS




É exibido o IP dos client torrents assim como o pais, velocidade de download, upload e etc

PIECES




Em Pieces é exibida a taxa de trasnferencias das partes que você não tem assim como as já completadas, velocidade, numero de blocos e etc.

FILES




Aqui é exibida os arquivos que vem junto com o torrent. É altamente aconselhável que após iniciar o torrent você verifique seus arquivos para ver se realmente é isso que você deseja fazer download. Em Files tempos os números de partes que o arquivo foi dividido assim como o tamanho, porcentagem de download concluída e etc.

SPEED




Aqui é exibido um gráfico da estatística do download e upload


LOGGER




Aqui é exibido os logs das conexões assim como o endereço IP deles.


1.5 Fazendo download de um torrent


Faça download de um torrent, geralmente é um arquivo de poucos Kbytes em sites de torrents (vocês sabem... ) e similares, você também pode procurar um torrent na WEB diretamente pelo utorrent digitando o nome desejado na janela Search mas eu acho mais pratico fazer download direto dos sites para depois aplicar no utorrent.

Com o torrent em mãos, basta clicar no botão add torrent ou ir em File/Add torrent... feito isso, procure o torrent nos diretórios do seu computador e selecione-o. Pronto, agora o software se encarregará do resto.

A grande vantagem de fazer downloads por torrent com o utorrent é o fato de poder resumir o download, verificar os arquivos contidos e outros que facilita muito a vida. Por exemplo, você esta fazendo o download de um arquivo de 100MB por servidores como Rapidshare, Badongo, Easyshare e outros e em 90% sua conexão cai... com o utorrent você tem opções de resumir o download facilitando muito a vida (principalmente de usuários de internet dial-up como eu)

1.6 Deskmod no uTorrent

Com o uTorrent também é possivel fazer Deskmod aplicando Skins, no entanto, as Skins disponiveis são apenas para os icones. Para fazer download das skins basta ir em CLIK AQUI Fazer o download das skins (toolbar Icons e qualquer outro que desejar) e coloca-los na pasta C:\ Documents and Settings\ [Username]\ Dados de Aplicativos\ uTorrent

Cole as imagens nessa pasta e reinicie o programa que a skin será aplicada.

Vale lembrar que onde esta C:/ é porque é padrão instalar o Windows nessa partição, mas caso não esteje, coloque na partição onde esta instalado o Windows.

Onde esta escrito Username é para abrir a pasta onde com o nome da sua conta de usuario.

Abaixo uma foto com os icones alterados.




1.7 Melhorando a velocidade do uTorrent

1.7.1 - Primeiramente, clique com o botão direito sobre o icone tray do uTorrent Limite agora a velocidade do UPload para a metade da velocidade de seu download. (ver foto)



1.7.2 - Alguns provedores de Internet restringem a comunicação com o uTorrent para limitar a sua velocidade. Nesse caso, existe uma opção que pode ser habilitada para poder encryptar as informações e assim aumentar o uso da banda. Para isso, vá em Opções/ Guia de Velocidade ou aperte Ctrl+G e Habilite a caixa Habilitar Criptografia (ver foto)



1.8 Alterando configurações, otimizando e links úteis


Eu não aconselho alterar as opções preferenciais padrão do utorrent mas breve estarei abordando sobre esse assunto. Enquanto isso, indico-lhes links interessantes sobre o utorrent:

Dicas e Artigos sobre o utorrent

Dicas e Artigos [Forum Adrenaline]

Configurando para Internet 300kbps

Configurando para Internet 300kbps [ForumPCs]

Nenhuma dica dos 2 links foram testadas por mim.



Bit Torrent – Tutorial Completo


HISTÓRIA ANTIGA

Até o século passado, transmissões de arquivos era coisa séria. Ou você assinava um serviço como o RENPAC da Embratel, um serviço de EDI como o do Infolink ou ficava à própria sorte, lidando com modems, protocolos e handshakes. Se você não sabe o que é zmodem, kermit e zoltrix, você é uma criatura mais feliz.
No tempo do BBS a comunicação era linear. Um usuário baixando um arquivo não interferia no download de outro usuário, mas também não ajudava. Era frustrante subir um arquivo, cheio de vontade, para descobrir que outro havia subido o mesmo arquivo minutos antes. Também não importava se todos menos você tinham o arquivo. Seu download não ganhava nem perdia.
Com arquivos de 16 ou 20Kb tudo bem, mas o advento do Netscape, o primeiro arquivo realmente grande a ser distribuído, tudo ficou pior. Não havia o conceito de recomeçar um download do ponto onde havia parado, as conexões eram lentas; em sua maioria trinta ou quarenta usuários compartilhavam um link de 64Kb.
Isso atrasou muito a principal função da Internet, que é a troca de arquivos de sacanagem.
Embora a quantidade de usuários e sua pulverização pelos quatro cantos do planeta tenham matado o conceito de BBS, as alternativas de distribuição de arquivos ainda refletiam aquele modelo inicial. Até hoje um download via FTP não passa de dois computadores enviando e recebendo pacotes de informação relativos a um arquivo, independente do que os computadores em volta estejam fazendo.

NAPSTER, GNUTELA E OUTROS BICHOS




napster

A primeira geração de programas peer-to-peer assumia que uma enorme quantidade de gente tinha arquivos a compartilhar, e seria benéfico fornecer uma ferramenta para que essas pessoas interagissem entre si. Funcionou muito bem. Bilhões de músicas passaram pelo Napster, tornando o MP3 um formato conhecido e tirando o sono das gravadoras. Entretanto nem tudo são flores. O [BP]Napster[/BP] baixava os arquivos de um usuário de cada vez. Você não ganhava nenhuma vantagem por baixar um arquivo popular.
Os programas como o Gnutella, que ainda sobrevive, mutado no Kazaa sofriam da mesma limitação.

DICA: As figuras são ampliáveis, basta clicar.



teste
Tela do NeoNapster, uma versão
politicamente correta da ferramenta.

A MULA

Seria uma alternativa interessante o eMule, mas mérito de gerenciarem melhor os downloads logo foi ofuscado por uma tendência a trazer muitos arquivos falsos, spams, vírus e pornografia ilegal. Nada garante que um arquivo baixado seja realmente o que você espera.
Outro inconveniente é o modelo de fila. Condiciona-se o download de um arquivo a diversos fatores, como ordem de chegada, quantidade de arquivos disponíveis do *seu* lado, em alguns casos até consegue-se o máximo em egoísmo on-line; troca condicional. Só permito o download do arquivo A se você compartilhar, para mim, o arquivo B.
Por isso muitos arquivos, embora tenham disponibilidade teórica, na prática são quase impossíveis de baixar pelas redes tradicionais.

O VERDADEIRO PONTO-A-PONTO

A humanidade estava razoavelmente satisfeita com o modelo existente. Pouca gente tinha banda larga, os arquivos em geral eram músicas individuais em mp3, e ninguém sentia realmente as deficiências do modelo.
Então veio o [BP]DVD[/BP]. E o leitor de DVD para micros. E o DeCSS, um programa que integrava essa bagaça toda. Junte uma gota de inventividade, um container de maldade contra a MPAA, um formato de compressão chamado divx;) e presto! Temos filmes inteiros em excelente qualidade. E uma eternidade de espera para baixar cada um deles.

MPAA – Motion Pictures Association of America – São o mal. Sério. São Satã em pessoa. Eles querem impedir que você empreste seus discos. Se juntar cinco amigos, já está violando a licença. Leia o texto de alerta em qualquer um de seus DVDs.



teste
Uma visão não muito exagerada da RIAA.

NASCE O TORRENT

Um sujeito muito inteligente, chamado Bram Cohen, que provavelmente tinha uma enorme coleção de filmes educativos de domínio público, pensou no problema, que na verdade tem duas partes:
  1. como distribuir uniformemente um arquivo para o maior número de pessoas simultaneamente?
  2. omo evitar filas e sobrecarga de servidor quando da fase inicial, onde somente um, ou poucos computadores possuem o tal arquivo?
A solução proposta foi simples e elegante. Por definição, todo membro de um enxame (o termo que compreende os computadores conectados a um arquivo torrent) é tanto receptor quanto transmissor.
Veja na figura abaixo o modelo tradicional versus o modelo torrent.




Modelo Tradicional: Um servidor,
nenhuma interação entre clientes

torrent
fonte: Wikimedia





Modelo Torrent: Um tracker, clientes
interagindo e trocando dados entre si

torrent
fonte: Wikimedia




No modelo tradicional temos um servidor que controla as transferências, os pacotes e arquivos disponíveis, quem está com o quê. Isso gera uma enorme carga no servidor. Se o mesmo sair do ar, diga adeus.
No modelo torrent, o servidor ainda existe. É chamado de tracker. Na prática só serve para guardar o arquivo .Torrent com as informações básicas do arquivo compartilhado, como tamanho, nome, endereço do(s) tracker(s)- sim, um torrent pode ser referenciado por mais de um tracker de cada vez – e, principalmente, dados para autenticação. Com isso você evita baixar “O convento das freiras lésbicas karatecas assassinas” renomeado para “Bambi”. Ou o contrário.
Um tracker tem outras funções. Controla sua relação de envio / recebimento. Alguns usuários não entendem o conceito de compartilhar e forçam seus clientes para que somente recebam. Isso é ruim par todo mundo, então alguns trackers impõe limites para quem só recebe sem dar nada em troca, mas nunca limitando qualitativamente o conteúdo. Nada daquele esquema de trocas de alguns servidores do eMule.

EXEMPLO PRÁTICO

A Applet abaixo foi desenvolvida pelo pessoal do site http://aphid.org. Está sendo hospedada no meu servidor para não consumir a banda deles.
Este programa é um excelente exemplo de funcionamento do Bit Torrent. Vamos entendê-lo:
Existem dois tipos de pontos em uma rede torrent: Os Seeders e os Leechers. Seeder é que semeia um Torrent, Leecher é que chupa. Vamos simular a criação de uma nova .torrent no cyberespaço.
Os comandos são simples: Tecla “+” adiciona um Leecher ao conjunto, tecla “s” adiciona um Seeder. Clique a Applet para ela ganhar o foco, em seguida tecle “+” umas 3 vezes. Verá que aparecem círculos com um espaço vazio. Esse espaço representa seu arquivo.
Com 3 ou 4 círculos orbitando, nada acontece. Precisamos de um Seeder. Tecla “s”. Veja como ele imediatamente elege um Leecher aleatoriamente como primeiro receptor. Ele está aos poucos enviando o arquivo para esse Leecher, mas por enquanto tudo ainda é igual ao modelo do eMule.
Em algum momento esse nó inicial irá começar a compartilhar com os outros, mesmo sem ter terminado o arquivo. Acrescente mais uns 5 ou 6 nós. Ideal que fique com uns 10. Aguarde alguns segundos para que a os mais recentes passem a receber dados. Veja como alguns nós bem posicionados recebem dados de diversas fontes simultaneamente!
Se você tiver paciência, verá o nó mais antigo se transformar em um Seeder. A essa altura sua tela deve estar uma teia de aranha de informações se entrecruzando.
Imagine isso em um ambiente de banda larga! A eficiência é assombrosa, sem sobrecarregar nenhum dos nós da rede. Idéia de gênio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário